quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Encoxada no ônibus

Olá, meu nome é Tatiane, tenho 22 anos, mas o que vou relatar aqui aconteceu quando tinha acabado de completar 18 anos, um ou dois meses depois da minha data de aniversário, no máximo. Antes de tudo, queria dizer que sou de classe média/alta e não tenho o costume de pegar ônibus mas, naquele dia, estava tudo dando errado para mim. Sou morena de pele clara, cabelos escuros e lisos até altura do meu bumbum, um corpo naturalmente exercitado, com belas curvas, seios grandes mas bem durinhos, cintura fina e uma bunda redonda, farta e empinadinha. Tinha acabado de sair da academia e estava atrasada para a festa de aniversário da minha irmã, fui direto para um ponto de táxi e lá fiquei esperando um táxi por mais ou menos uns cinco minutos e, vendo que não poderia perder mais tempo, optei por pegar um ônibus, afinal, não tinha outra opção. Por sorte, o ônibus passou rápido e estava bem vazio, tinha alguns homens em grupo sentados no fundo, deveriam ter entre 30 a 40 anos, como não ligava de sentar, optei por ficar em pé, mas talvez teria sido a pior decisão que teria tomado, pois estava vestindo uma leg branca bem clara, marcando bem meu bumbum e dando ainda mais volume a ele, e o tecido claro da leg deixa perceptível minha calcinha fio-dental socada entre minhas nádegas bronzeadas, por cima estava vestindo um topzinho branco, com um sutiã bem apertado, dando volume aos meus seios. Durante a viagem inteira aqueles homens ficaram olhando para mim, parecendo que iriam me comer viva, e isto me excitou, era óbvio que eu não queria nada com eles, mas era sempre bom ser desejada. Depois de uns 3 minutos, o grupo inteiro se levantou e deu o sinal, na hora abri um sorriso por pensar que estaria livre daqueles olhares cheio de desejo, mas estava enganada, o sinal foi apenas uma “desculpa” para que eles se aproximassem de mim, era um grupo de 4 homens, eles me cercaram, eu fiquei olhando para eles assustada, e eles ali, com sorrisos pervertidos em seus rostos, eles me apertavam mais e mais naquele cerco que eles formaram, eu perguntava o que eles estavam fazendo porém eles apenas riam, até que chegou um momento que ficamos tão apertados, que o contato corporal foi inevitável, o que estava atrás de mim me “cutucava” com um volume familiar e pontudo que vinha de dentro da sua calça, o encaixando bem por entre minhas nádegas e roçando ele por lá, conseguia sentir o mastro pulsando por entre o tecido da calça e se acomodar dentro de minhas nádegas gordas e arrebitadas , pontuando o meu rego por cima da leg, enquanto o que estava em minha esquerda começava a beijar meu pescoço e passar a mão por todo meu corpo, tremia toda e alguns momentos soltava gemidos baixinhos, misturados por uma respiração totalmente ofegante, ele deslizava minha mão dos meus seios para minha barriga e de minha barriga até minha virilha… devargarzinho, para eu poder sentir aquela mão grossa passar por todo meu corpo com calma, ao chegar em minha virilha ele dava um forte tapa, o que fez eu enclinar meu corpo para frente e joga-lo para trás, empinando bem minha bunda para o que estava de costas para e mim, e jogando todo o peso dela contra seu membro, que com certeza teria doido pois ele soltou um suspiro de dor no momento, o que estava na minha direita era mais safado ainda, uma de suas mãos apertava meu seio direito com força e lambia meu ombro, como se quisesse provar o gosto da minha pele morena bronzeada, sua outra mão estava jogada em minha coxa, também apertando e deslizando próximo a minha vargina, o quarto estava posicionado ao lado do que estava do meu lado direito, e apenas obrigava-me a tocar seu membro ereto por cima da calça, eu apalpava de leve. Os quatros continuaram naquilo por alguns minutos, eu já estava totalmente entregue a eles, depois o que estava posicionado nas minhas costas me empurrou para frente, contra o banco, fazendo eu cair de quatro nele, com minha bunda toda arrebitada e já um pouco melecada com o pênis que se divertia com meu bumbum, todos fizeram questão de puxar minha calça leg juntos, com bastante força, chegou até a rasgar uma pequena parte, mas isso era o de menos, agora eu estava com minha bunda morena toda a mostra para eles, apenas com uma pequena calcinha tampando meu cuzinho todo melecado já….

Nenhum comentário:

Postar um comentário